• MOB Dica

Em Ordem, o Amor Flui

Atualizado: 5 de Jul de 2019

Um movimento para lidar com os relacionamentos de forma mais saudável




Há quem sinta dificuldade de estabelecer, estar ou manter uma relação. Muitas vezes, um casamento ou namoro mais parece uma guerra. Batalhas diárias para se manterem unidos em um propósito comum, apesar das brigas, discussões e diferentes pontos de vista que insistem em criar uma distância entre os que se amam. Alguns desses momentos saem do controle, trazendo sentimentos como raiva, medo, decepção, frustração. Volta e meia, são os filhos e filhas que acabam sendo a válvula de escape do relacionamento, sofrendo no lugar dos pais ou se colocando ao lado de um deles contra o outro. Em outras relações, o complicado é manter a individualidade, quando por amor, um acaba fazendo pelo outro coisas que não são suas. E até mesmo quando não há tantos conflitos, às vezes pode ser difícil sustentar a felicidade no casal porque esse não foi o padrão estabelecido na relação dos pais ou do sistema. Ainda assim, e talvez por isso, o relacionamento amoroso é considerado umas das mais eficientes oportunidades de se curar feridas da infância ou dificuldades que se teve quando criança. Segundo o escritor Joan Garriga, é uma relação que ajuda, não uma relação de ajuda, uma chance de se amadurecer. No entanto, existem pessoas que acabam vendo o cônjuge como um de seus pais, e esperam dele ou dela que resolvam os problemas pessoais que enfrentam. Mas por que isso acontece? De que forma é possível desfrutar de um relacionamento de forma mais produtiva, e criar entre o casal um campo de solução e desenvolvimento, em vez de um campo de atritos?


Bert Hellinger, psicoterapeuta e pedagogo desenvolvedor das Constelações Familiares, afirma que existe no casal que se reúne uma simetria oculta que tem origem em seus sistemas familiares. Cada pessoa que se casa com outra na verdade, casa-se com toda a família desse par. E, muitas vezes, os conflitos que acontecem tem sua origem há muitas gerações atrás, sendo esse casal uma oportunidade de se resolver questões que há muito tempo fazem pressão para serem olhadas e que, pela dificuldade em lidar com elas, foram transmitidas de avós para pais, de pais para filhos. Esses filhos quando encontram com filhos de outros sistemas, com memórias parecidas em suas próprias famílias, podem correr o risco de repetir traumas, medos, dores e dificuldades em sua relação actual. Muitas vezes, foi assim que aprenderam a amar e reproduzem padrões de comportamento e crenças nos relacionamentos.

Muitos casais ainda vivem sobre as influências dos relacionamentos de seus antepassados.

Segundo Hellinger, há uma ordem não saudável estabelecida em certos relacionamentos que dificulta o fluxo do amor em direcção ao crescimento. Ele descreveu, em seu trabalho e livros, as Ordens do Amor, que observou ao longo de mais de 30 anos atendendo pessoas, casais e famílias a partir de sua técnica. Segundo essas ordens, todo relacionamento segue necessidades que são assim determinadas pela consciência.


A primeira é a necessidade de vínculo, ou seja, quem começa a fazer parte de uma família ou sistema, sente necessidade de continuar a pertencer a ela. Caso essa pessoa exclua alguém ou sinta-se excluído por algum motivo, um integrante do sistema de uma geração posterior sente-se impelido a representar esse excluído ou essa exclusão. O que o impele a representar é a segunda necessidade, a de compensação ou equilíbrio, que também faz com que pessoas que recebam sintam-se obrigadas a devolver de alguma forma o que receberam. Em casais, Bert observou que essa segunda lei age de forma muito forte, já que ambos, independente se forem mulheres ou homens, têm o mesmo tamanho ou função na relação. Ele observou também que pais e filhos têm tamanhos diferentes, ou seja, pais são maiores que os filhos, pais dão a vida, e os filhos a recebem, não podendo devolver aos pais, mas sim aos seus próprios filhos ou projectos de vida. Com isso, viu que há também uma terceira necessidade que influencia sistemas e relações, a de hierarquia ou ordem, determinada pelo tempo. Quem nasce ou chega primeiro ao sistema, tem precedência sobre os que vieram depois, o que confirma que os filhos em suas famílias de origem sempre serão os pequenos, mas quando assumem seu lugar na sua família actual, ou no casamento, se tornam grandes. Ele ainda chegou à conclusão de que há necessidade de reconhecimento do destino dos que viveram antes e dos papéis que exerceram ao longo de suas vidas, sendo essa a quarta ordem que desenhou, que confirma que se há algum julgamento sobre o comportamento dos antepassados do sistema, isso pode causar sintomas e diversos problemas na actualidade. Como as exclusões por perdas, dores, julgamentos morais ou qualquer motivo, que podem fazer com que pessoas de hierarquias mais baixas nos sistemas, por exemplo os filhos, ocupem o lugar de pessoas que têm papéis mais altos da hierarquia, como pais, avós, excluídos. Ou até mesmo irmãos e irmãs mais velhas, nascidas e não nascidas. Isso provoca uma ordem não saudável, fazendo com que elas se preocupem com coisas que não são suas, saindo de seu lugar e entrando no que o terapeuta chamou de emaranhamento familiar. As Constelações facilitam a observar quais são essas dinâmicas emaranhadas, muitas vezes inconscientes, que são vividas cegamente por essas pessoas dentro da relação. Como um processo filosófico e terapêutico breve, de alto impacto, vem facilitando a milhares de pessoas, em diversos países do mundo, a entrarem em contacto com os desejos e anseios dos seus sistemas familiares com amor, ao permitirem que suas relações fluam com mais ordem.


Ana Carolina Durante e Lilian Rodrigues são casadas e aplicam no seu relacionamento o aprendizado com as constelações e com a CNV

As consultoras Ana Carolina e Lilian, que são casadas e são, ambas, cidadãs brasileiras e europeias, trabalham com a técnica há quatro anos no Brasil, e agora a trazem para Portugal com a proposta de aplicação prática desse Olhar Sistêmico, que inclui a todos, procura o equilíbrio nas relações, e reconhece a ordem como uma maneira de resolução, em comunhão com o processo de cultura da paz incentivado pela Comunicação Não-Violenta. Essa, um trabalho contínuo de grupos e pessoas a partir dos ensinamentos de Marshall Rosenberg, que propõe que se observe sem julgamentos os pensamentos, sentimentos e necessidades que estão por trás dos comportamentos próprios e dos outros. Através de uma audição mais activa, para se ouvir do coração o que o outro fala, e de uma expressão dinâmica e sem termos classificativos, dominantes e desresponsabilizantes, que rotulem ou enquadrem os interlocutores ou terceiros, é possível saber com clareza quais são as reais necessidades por trás dos sentimentos expressados. A CNV, como é conhecida, oferece ferramentas que apoiam o estabelecimento de relações de parceria e cooperação, em que predominam a comunicação eficaz e empática, com ênfase nas acções à base de valores comuns. E tem se mostrado uma técnica eficaz para mediar conflitos, principalmente entre casais que a praticam.


Dessa forma, Ana Carolina e Lilian desenvolveram o Movimento Criativo do Ser, que reúne essas diferentes filosofias de vida, o estudo de campos de informação, ferramentas de acção, e diversos jogos colaborativos. E oferecem durante o mês de Julho nas cidade de Porto e Braga, em seu Workshop de Relacionamento “Em Ordem, o Amor Flui”, uma oportunidade de se conhecer e trabalhar as principais dinâmicas que bloqueiam as relações consigo e com o outro e com o mundo, ao facilitarem que sejam transformadas em movimentos de solução de forma terapêutica e lúdica. Quem participar terá a chance de descobrir por si como desfrutar de seus relacionamentos plenamente, criando nos conflitos uma oportunidade de crescimento.


O evento no Porto conta com a participação de Joana Vasconcelos, que traz uma parte especial sobre o papel da sexualidade nas relações, e acontece dia 20/07, sábado, das 14h30 às 18h30, no Centro Terapêutico Árvore da Vida, que fica à Rua António José da Silva, 114. O ingresso tem o valor de investimento de 25 €. Clique aqui para se inscrever agora.


Já o evento em Braga, acontece dia 27/07, sábado, das 14h30 às 17h30, no AYAM Cursos, Coaching e Terapias com Alma, que fica à Rua Professor Machado Vilela n° 120, 1° sala 22, com o ingresso no valor de 15 €. Clique aqui para se inscrever agora.

Outras informações podem ser obtidas no site mobdica.net ou pelo telemóvel 933 882 854.




Sobre as facilitadoras da MOB:

Ana Carolina Durante e Lilian Rodrigues - São Comunicadoras com Especialização em Comunicação Empresarial e Mestrado em Comunicação, Representação e Identidade pela Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, no Brasil. São Consteladoras profissionais especialistas em Atendimento em Grupo e Particular com Bonecos, presencial ou online, Apômetras e Terapeutas Holísticas. São professoras em Constelação Familiar Sistêmica Transgeracional e Fenomenológica das formações da MOB, do Instituto Constelari e do Instituto Ciclo Sistêmico. São praticantes e facilitadoras em Comunicação Não-Violenta. São Produtoras Cinematográficas, lançaram recentemente o curta metragem “Móbile Haikai” (2017, 20 minutos, drama) com roteiro e direção de Lilian e vencedor de 5 prêmios. Produziram a Primeira Jornada Internacional de Constelações Amplitude em Juiz de Fora, em parceria com a Argentina e como Canadá. Têm o canal MOB Dica no Youtube . Desenvolveram o método Movimento Criativo do Ser e são proprietárias da MOB, empresa de consultoria, eventos, cursos e formações que atua em Portugal e no Brasil - mobdica.net | + 351 933 882 854


Sobre a facilitadora do Centro Árvore da Vida, em Porto:

Joana Vasconcelos - Desenvolveu a sua licenciatura em Psicologia e Counselling, pelo Instituto Superior da Maia, complementando o seu ciclo universitário com o Mestrado de Sexologia Clínica. Posteriormente dedicou-se ao estudo e formação terapêutica das Constelações Familiares Sistêmicas. Realiza atendimento clínico individual e pontualmente participação e organização de grupos terapêuticos. Como forma de responder às necessidades, cada vez mais diferenciadas dos seus pacientes, as Terapias Complementares têm demonstrado ser, igualmente, uma mais valia fundamental na sua prática clínica, nomeadamente a especialização em Aromaterapia Clínica e Biológica, Bioenergética Aromática, a Numerologia Terapêutica, as Técnicas de Diagnósticos de MTC, Reiki e Meditação. Facilitadora pela ÁRVORE DA VIDA Centro Terapêutico e Educativo. www.facebook.com/pg/arvoredavidaterapias | +351 932 594 895

110 visualizações

Brasil | Portugal

#2020 MOB Constela e Movimento Criativo do Ser

Marcas Registradas  - Direitos Reservados